Enquanto isso no blog ao lado...

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Essas crianças

Não tem nada melhor do que conversa de criança para a gente dar boas risadas. Claro que na hora a coisa não é tão engraçada assim, mas depois que o tempo passa, a melhor coisa é compartilhar com os amigos as pérolas dos filhos.

Hoje no trabalho foi dia dessa conversa. Os meninos mais faladores são os campeões de situações e passagens inusitadas. Cada uma mais divertida que a outra. Com aquela saudade da coluna “Criança diz cada uma”, do Pedro Bloch, resolvi dividir as conversas.

Pedrinho estava saindo da natação com a mãe contando todas as aventuras do dia na piscina no que vê um homem tirando a perna mecânica para entrar na piscina. Sem pensar duas vezes, puxa a mãe pelo braço e mostra:
- Olha mãe! Um robô!

Julinho tinha acabado de sair da aula de ginástica olímpica e, como sempre, acompanhava a mãe até o vestiário feminino para pegar a mochila nos armários. Enquanto ela abria a porta, uma outra mulher se aproxima enrolada na toalha.
Sem ligar para o pequenino que estava por perto, a tal senhora abriu a toalha para se enxugar.
Antes de qualquer outra ação, Julinho arregalou os olhos e disse interessado:
- Eita, mãe! O dela é vermelho!
E, para piorar, foi conferir a veracidade do fato com as mãozinhas.

A mãe de Marcinha estava com ela no banheiro. Por algum motivo estava agoniada, quando a menina perguntou, ela respondeu que tinha perdido a prótese dentária que estava usando enquanto tratava dos dentes.
A busca ficava cada vez mais séria e as outras pessoas que entravam no banheiro perguntavam se poderiam ajudar a procurar alguma coisa, mas a mãe, com vergonha, dizia que não era nada.
Lá pela terceira negativa, sem entender muita coisa, a menina resolveu acabar com a agonia da mãe:
- Ah, ela perdeu sim! Um dente!

Paulinha era a rainha da conversa com gente desconhecida. Estava jantando com a mãe e a avó em um restaurante especializado em caldos quando começou um papo muito animado com a mesa de trás.
Depois de um tempo, viu que o homem e a mulher se beijaram e não se segurou:
- Vocês são namorados?
- Somos!
- Mas ela é quase sua mãe!

Zequinha estava matando a saudade da tia que não via há muito tempo. Enquanto os dois estavam abraçados, com toda doçura ele disse:
- Tia, sabe aquele filme que tem uma mulher gordona e o cara “vê ela” bem magrinha?
- Sei sim.
- Você é assim para mim também!

Carlinhos estava morrendo de fome e queria muito tomar logo o seu leitinho de antes de dormir. Com a barriga roncando e o mau-humor aumentando ele pediu pela sétima vez:
- Pai, me dá meu leite!
- Peraí, Carlinhos, tem que esperar ferver.
- Mas eu estou com fome!
- Eu sei, filho, mas tem que esperar ferver.
- Por que?
- Porque é assim que a gente mata os bichinhos do leite
- E eu vou beber isso com um monte de coisa morta dentro?

4 comentários:

Pathy disse...

Oi Cecília!!
Eu adorei esse seu post!!
Criança diz e faz mesmo cada uma que só mesmo porque são crianças é que são perdoadas, né!?!
Eu postei uma dessas também, há um tempo atrás...
uma situação que eu vi ao vivo e à cores...
- http://minhasversoes.blogspot.com/2006/11/criana-diz-cada-uma.html
Bjos

LLC disse...

Hello! Do you want to download movie, game or beautiful girls pls visit

http://llc-movies.blogspot.com
http://sexylady-asian.blogspot.com
http://llc-freegame.blogspot.com
http://over18movie.blogspot.com
Thanks!!!

Alê Gump disse...

Oi Cecília, td bem? Descobri seu blog pq vc já passou por mim tbm! Gostei do q li e espero voltar aqui mais vezes. Esse post a respeito das crianças falarem aquilo q vem na hora, só podemos agradecer ser assim e devíamos resgastar essa tal de sinceridade, espontaneidade que só as crianças parecem ter... Abraços,

Raskólhnikov disse...

rs

Creative Commons License
Todos os textos estão licenciados sob uma Licença Creative Commons.